Poema : Poetisa Vera Mascarenhas

Motim

Era motim de lavadeira
E o medo de ser a primeira
Pra morte em evidente leseira

Éramos três em pele de loba
E duas em roupa de estopa
Seríamos evidência mínima de alguma coisa qualquer
E evidente forma de esquartejo
de mulher!!

Éramos duzentas pra morte de febre louca!
E se abríssemos a boca
Pra deixar uma cega com fome,
Seríamos um gato por lebre
Pra um monte de lobisomem!
Universo do homem!

Éramos o avesso do cobre,
e o pobre,
E um transverso do verso nobre!!

Éramos a escória formosa
E as mães que no umbral
vivem
Com lodo de prosa,
Na extrema estrada lodosa!

Seríamos um vaga-lume
Com acordeon de escória bonita!
Ovelha sem pastor
Eis a poderosa estribeira maldita!

Vera Mascarenhas

Poema : Poetisa Olema Mariz “A Versátil”

Tenho

Tenho um lápis fingidor

Transforma a dor em palavras

Desenha na folha em branco

Flores, pássaros, céu

E tudo lindo que vê…

Angustia muda de cor

A vida vira uma flor

A esperança mostra a cara

Sempre bem iluminada…

Borboleta apaixonada

Sai do casulo pro mundo…

Tudo se simplifica

Normas não especifica,

Nas asas dessa ternura…

Percalços, pedras, embaraços

Contorna num lindo laço

Presente de vida…

Adormecedor de tristeza

Anjo guardador,

Milagrosa poesia!

Olema Mariz
🙏♥️🌹