Poema : Poetisa Rita Santarém “A Romântica”

Delicioso Abismo

Não te quero apenas como a ilusão mais linda da minha vida.
Quero que seu amor seja o mais verdadeiro e profundo, humano quase insano.
Deixa eu ser o mais secreto dos seus silenciosos sonhos, o labirinto inefável do seu romantismo.
Quero a permissividade da sua libido, ser muito mais que um gozo ou gemido.
Quero saciar seus desejos não somente por impulso, mas deixar me derramar em seu leito, seguir a trilha dos seu beijos.
Em minhas noites mal dormidas entre saudades e anseios, sinto você vagando pelos meus devaneios.
Amor é profundidade, prazer e risco, um delicioso abismo.

Rita Santarém

Poema : Poetisa Patricia Campos “A Espetacular”

Veraz

O que se passa
Só quem vive sabe
Um dia vira fumaça
E o silêncio é o que lhe cabe

Para se ter razão
Precisa conhecê-la bem
A soberba é uma invasão
Que distorce e fere também

A simplicidade ensina os sábios
E o amor entra em ação
Transborda-o pelos lábios
E atravessa o coração

De que adianta querer ter razão
Numa história mal resolvida
É preciso ampliar a visão
E a destreza ser absorvida

Eu luto por isto
Ser simples
Exaltar o Cristo
Ter um coração humilde

Porque falar é fácil
Apontar ainda é mais
Dantes devo ser dócil
Sei que sou capaz

Basta!
Basta inclinar-me
Vasta!
Vasta ao refinar-me

Ter posição
Um lado
Composição
Alma e anjo alado

Deixarei para trás
Qualquer provocação
Tornar-me-ei veraz
Com toda aptidão

Serei feliz
Eterna
Sem cicatriz
Alma tenra e terna

Patricia Campos 🌺

Poema : Poetisa Rose Melo “A Iluminada”

Saudade

É um sentimento lindo
Mexe com o coração
Faz pulsar fortemente

Brinca com a gente
Inquieta todo o ser
Leva-nos a viagens

Sonhando acordados
Através do pensamento
Revira-nos até a alma

Logo acomoda, aquieta
Com belas lembranças
Harmoniza plenamente

E saudade é como vento
Às vezes desmorona-nos
Outras suaviza e consola

Rose Melo

Poema : Poetisa Luiza Campos “A Menina Prodígio”

O espelhar nos atos

Propaga pelo som alacridade
Quando o reflexo demonstra dor
Espelho omite a verdade
Escondendo um campo sem flor

Mágoas em sorrisos
Sanidade em sensatez
Loucura sobre o precipício
Escorreu em sua tez

Espelha escuridão
E enaltece em atos
Tudo encontra destruição
Fazendo dos passos seus fatos

Grandiosidade perdida
Imensidão deixada de lado
Almas corrompidas
Soltaram o anjo alado

Lua mais florescente
Brotando primavera em sua íris
Escondendo que por detrás, mente
Acinzentou o arco-íris

Mundo falho e falso
Dias atordoados
O tempo atirou no espaço
Acolhendo os renegados

Fogem dos ponteiros
Quando eles contam a liberdade
O medo tomou-os por inteiros
Pela ação traçaram suas eternidades

Espelha e reluz
Matéria validada
Trevas ou luz
Escolha tomada

Luiza Campos