Reflexão – Poetisa Nilde Serejo “A Pacienciosa”

O que muda de 2019
pra 2020?
Só um número. Porque o que conta mesmo são nossos desejos, esperanças de que bons ventos soprem, de que as pessoas se amem mais, briguem menos, que o Brasil seja o tão sonhado país do futuro que parece não chegar.
Hoje mtos fazem promessas, simpatias e isso e aquilo. Se é pra mudar mesmo, renove seu desejo todos os dias, não somente a cada ano. Reclame menos, agradeça mais. Critique menos, lute mais pelo que você quer, pelo que todos queremos, unindo-se como der mas sem ficar só vendo a banda.
Desejo a todos saúde, paz, e realizações, mais entendimento e menos sofrimento. Vamos que vamos q cada dia é um novo dia.

Feliz Ano Novo

Quero externar aqui meu agradecimento por todos aqueles que estiveram conosco durante todo este ano de 2019. Que o ano vindouro seja de muita paz , sucesso , objetivos realizados e a presença de Deus em nossas vidas. Que não desistamos de nossos objetivos e não percamos nossa fé. Deus nos abençoe e que tenhamos um ano de 2020 Maravilhoso ! Amém ! Feliz Ano Novo!

Alan Rubens

Décimas em Decassílibas – Poeta Plácido Amaral

“TEU VULTO”

*
Nas penumbras da minha solidão
Vi teu vulto sombrio a regressar,
Realmente era um vulto a me mostrar
Que estou enxergando assombração,
Se é miragem ou só contemplação
Eu não sei nem desejo ter certeza,
Você foi uma deusa em minha mesa
E na cama a rainha de um amor,
Uma musa de afeto e de esplendor
Que deixou sem calor a chama acesa.

**
Transtornado com toda tua ausência
Só me resta o traçado da loucura
E estes versos revelam sem ternura
O amargor da poesia sem decência,
Um poeta ao perder sua inocência
Nem com rimas consola mais seu tédio,
Perturbado por sombras em assédio
Ele foge das almas terroristas,
Feito a tua que mesmo dando pistas,
Traz horror como sendo algum remédio…


Eras sim, um fulgor angelical,
Que hoje vem transformado em fantasia
Revelando a dosagem de utopia
Em um frasco tão fosco e sepulcral,
Um veneno que faz-me tanto mal
E que causa a tristeza corroída,
É melhor a memória ser perdida
Do que ver tua face a todo instante,
Que o teu vulto que eu quero ter distante,
Só retorne ao meu lar no fim da vida…

(FIM)

PLÁCIDO AMARAL

Caicó, RN. 30/12/2019

Poema – Jovem Poetisa Moçambicana Emily Uache

O encontro Perigoso!

A 26 de Dezembro
Não soube ainda que fazia parte do seu membro
Porém, do meu atrevido corpo fazia- se sentir o gemido de uma das costelas, insinuando pertencer- te.

Foi natural
Como se o destino não quisesse algo artificial
Num mundo superficial
Foi anormal
No sentido normal
E vice versa.

As mensagens profundas
Despertaram o nosso interesse um pelo outro
Que não te troco nem pelo ouro
Que por ti, sou até altruísta
Meu contrabandista.

Tímido tu és
Porém, longe de ser cobarde
Temido tu és
Porém, por mim não
E sempre será “não”
Sendo “sim”.

Provaste- me a penúltima estrofe
A 29 de Dezembro
No contentor vermelho
Pelas… Pelas X horas e Y minutos
Foi um perigo perigoso
Além de ter sido exclusivo, simples e incrível
Nalgum momento inacreditável
Porém, contradigo- me
Pois, balas de fogo saíram dos seus lábios
Bombas atômicas explodiram nos meus olhos
Sem deixar pra trás a chuva de gargalhadas
O de mais foi apenas uma granada (bomba), que  fez TICK TACK TICK TACK nos nossos corações.

O encontro Perigoso!
Emily Uache!