Crônica – Poetisa Gracinda Rodrigues

DEPOIS DOS SESSENTA, NESSE MUNDÃO

“A vida chega a ser engraçada”
Viver depois dos sessenta
Muitas pessoas te olham
As pessoas chegam até perguntar, qual a tua idade?
Nossa! Você já tem tudo isso?
Como se fosse irreal!
As pessoas ficam assombradas com as pessoas idosas
Como se um dia lá não irão chegar, como qualquer ser humano,
Ou, acham que é um desafio a natureza…
Ou, acham que é alguma doença…
Ou, talvez saiba que lá não chegará!
Coitados desses jovens… Eu tenho dó!
“Nem todos os jovens pensam assim graças a Deus”
Se não o mundo já estaria totalmente destruído
Chegar depois dos sessenta é bom para recordar
Sempre com fé agradecer e pedir para os jovens não sofrer
Nós os idosos devemos deixar bons exemplos
Sei, é difícil, mas, não custa tentar deixar bom exemplo:

  • Quanto mais eu conheço as pessoas poderosas,
  • Quanto mais eu conheço pessoas que se acham superiores
    Mais acho que devem aprender a viver, respeitar e se amar,
    Eu sinto e vejo que as pessoas não aprenderam nada nesta vida
    Quanto mais eu descubro das pessoas, acumulo mais decepção,
    Quanto mais eu exploro das pessoas, mais entristece meu coração,
    Quanto mais animais encontro abandonados mais fico decepcionado
    Sinto que as pessoas deixam o melhor da vida passar sem se amar
    Algumas pessoas são julgadas, são maltratadas e abandonadas,
    Sem oportunidades, sem trabalho, sem compreensão,
    As pessoas simples, os humilhados sempre estão a agradecer,
    Com fé elevam seu olhar ao céu e pedem para não mais padecer
    As pessoas com poder, só desejam enriquecer,
    As pessoas com poder, acham que não vão adoecer e morrer,
    Algumas pessoas vivem sem sentir o sabor de viver
    Algumas pessoas vivem pela maldade e pela vaidade
    Vejo que algumas pessoas deixam passar as oportunidades
    Vejo o ser humano se destruir, com ódio, e os pobres explorando,
    Vejo o ser humano descartar os desfavorecidos
    Os deixando morrer na sarjeta, na pobreza sem teto para morar,
    Morando em lugares insalubres, com esgoto ao céu aberto,
    Miséria, pobreza é o que estamos a ver e temos como mostrar,
    Chegar acima dos sessenta anos não sendo humilhado é uma glória
    Felizardo aquele que conquistou seu espaço de cidadão
    Mas, aquele que por qualquer motivo não conseguiu,
    Ter seu espaço na sociedade, não conseguiu adquirir bens materiais,
    Chegou aos sessenta anos e não conseguiu comprar sua própria casa
    Essas pessoas com exceção são banidas da sociedade
    A sociedade deveria ajudar os pobres que trabalham para ganhar o mínimo
    Os pobres não deveriam viver aglomerados nas comunidades
    Chegou a hora de se resolver, está nas mãos dos Srs. Dirigentes,
    As pessoas estão tristes de quarentena, sabem de uma coisa:
    Quem está a orar são os humilhados, os condenados a pobreza,
    Chegar à idade acima de sessenta de cabeça erguida é uma benção
    Espero que você que está a ler chegue aos sessenta
    A alegria, o prazer inigualável e muito glorificante,
    Todos deveriam também chegar com saúde, moradia e educação,
    Mas, fico a pensar: Será que toda pessoa aos sessenta chegará?
    Todos deveriam chegar, vamos esquecer as tristezas, para começar:
    Vamos esquecer as diferenças financeiras
    Vamos esquecer as diferenças da idade
    Vamos respeitar as diferenças de classe social
    Vamos a todos respeitar, vamos povo amado acordar,
    Todos têm o direito a viver, sem preconceito para melhor viver,
    O mundo está a modificar, Deus está para chegar,
    Faça sua parte acorde ainda dá tempo.

Poeta: Gracinda Rodrigues Cordeiro
Rio, 13.05.2020

Um comentário sobre “Crônica – Poetisa Gracinda Rodrigues

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s