Crônica – Poetisa Lenice Ferreira

DOENÇA NÃO TEM IDADE

O ser humano tende a ser desumano quando o direito do outro tropeça no seu caminho.
Caras e bocas,murmúrios,olhares furiosos e indagadores são expressões frequentes mediante ao exercício do meu direito como PRIORIDADE em determinadas instituições.
(BANCOS,HOSPITAIS ETC..)
É fácil se colocar no lugar do outro quando esse outro pertence a você. Difícil é se colocar no lugar do desconhecido. A Dor é ABSTRATA..
DOENÇA NÃO TEM IDADE
Sou portadora de um problema crônico degenerativo na minha COLUNA CERVICAL E LOMBAR que me incapacitam de permanecer por longo tempo em pé,sentada ou até mesmo deitada. Mas minha idade apesar de estar chegando na casa dos CINQUENTA,não caracteriza prioritária.
Cada vez que eu preciso me deslocar aos bancos ou outras repartições tenho crises físicas e emocionais.
As dores físicas são medicadas e aliviadas,as emocionais ficam porque quando tenho que me explicar dá minha condição de invalidez minha autoestima desaba junto com a dura realidade de me aceitar INCAPAZ para certas atividades.
Não julgue o outro quando não o conhecer .
Enquanto você o xinga,muitas vezes esse outro daria tudo para estar no seu lugar com saúde e forças para brigar..

Lenice Ferreira

Um comentário sobre “Crônica – Poetisa Lenice Ferreira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s