Poema – Poetisa Adele Pereira “A Pérola da Poesia”

RAMOS

Revesti minha casa, de folhagem,
ramagem.
Buscando tua face, nos escombros,
nas vielas, na oração.
Vem visitar metrópoles, as cidades
não só Jerusalém.
As folhas enegrecidas de choros
velados, ombros pesados.
Domingo de sol e calor, de grande
louvor ao Senhor.
Destino louco, humano fez-se triste,
recolheu – se.
Levou engodo que se precede a todo
sofrimento, isolamento.
Jesus entra montado num jumento,
animal de paz.
Príncipe do amor, homem humilde
não monta cavalo.
Não é guerreiro, não usa lança,
mas tem grande poder.
Dá-se em amor, vence as demandas,
acaba as contendas.
Acalenta as almas flageladas pelas
catástrofes.
Atravessa os ódios, torna – se cinza
das catacumbas.
Segue o percurso da vida, curando
males, dando perdão.
Vamos ofertar – lhe essa honraria
em nossas casas recebê – lo.
Do pouco que sei digo – te, agora
somos cegos, cheios de medos.
Estenda a nós a benção, revigora
nossas almas atribuladas.
Tira-nos da face a transparência
da dor que dizima o mundo.
Que essa equação de matemática
tenha sumiço.
Que venha a glória da ressurreição,
sem chocolate, com comunhão.
Entra filho de Deus nos confins
da terra e dai-nos absolvição.
Abençoe as vidas, exterminando
o mal de todas as nações.

ADELE PEREIRA

4 comentários sobre “Poema – Poetisa Adele Pereira “A Pérola da Poesia”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s