Poema : Poetisa Adele Pereira “A Pérola da Poesia”

Ilusão

Cheguei no meu aconchego
Não na casa dos meus sonhos
Mas na qual sonho contigo
Com o poeta amigo, amante
Meu menino, cavalheiro errante
Entrei sem ruido, silenciosamente…

Na penumbra, meia-luz
Direciono – me ao quarto
Abro a porta e o que vejo
A minha espera a sorrir
Real, irreal, ilusão ou virtual
Produto da imaginação

Vou como uma felina
Feroz, sedenta, faminta
Para presa mas…. desfaleço
Submissa entrego – me
Com pudor, sem temor
Sem forças, rendo – me

Pedistes a chave do meu corpo
O mapa da minha pele
Os segredos da minha alma
Entrego a chave, o mapa
Descubra minha índole
Toma posse, percorre
Pelos montes, o lago,
Planície, chega a cratera
Sonda, explora com as mãos
Taramela, suga, perscruta
Explora, analisa, abusa
Prevaleça -se do meu frenesi

Meu rei, usa teu cetro
Escava, encontra teus mimos
Lavas quentes, aromatizadas
Junta ao seu néctar saboroso
O êxtase de uma descoberta
A felicidade eterna, arrebatamento

Quem es tu ? És tudo
Não és nada, pois não o tenho
Quimera, quisera fetiche
Casual, virtual,imaginativo
Para mim não! Já estás em mim
Cravado na pele, no sangue
Nas folhas as quais escrevo
Na mente por todo o sempre.

ADELE PEREIRA

3 comentários sobre “Poema : Poetisa Adele Pereira “A Pérola da Poesia”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s