Poema : Poetisa Rose Rosário “A Notável”

Gemências

Foi cantar lá no fim do mundo,
Guardando em si, reflexões
e as reminiscências de sonhos em espera.

Quimera, volteando as ilusões.

Caindo tanta vezes, vai seguindo,
Deixando rastros, pegadas com cheiro de alfazema e da pobreza sofrida pelas asperezas do cotidiano.
Das coisas ásperas e das lidas, ela entende.

Ledo engano as imagens de nuvens puras, bolhas jogadas ao ar, cenas movidas a barulho do rio-mar…

Marulhar vazio…

Segue perseguida por muitas sombras do seu eu cabisbaixo, sem direitos. Na orfandade recém descoberta, que não lhe permitiu ofertas: reflexos do desespero.

(Por caminhos tortuosos acumulam-se indignações dos esforços não sentidos)

É dor, gemências que caem em ouvidos poluídos.

Rose Rosário

Poema : Poetisa Marilda Sampronha “A Diva da Poesia”

Sob o sol da primavera

Entre os tropeços da vida
Nos caminhos que meu destino conheceu
No jardim do amor uma flor escondida
Entrou em meu coração e cresceu.

No cultivo uma dose de carinho
Toda manhã o orvalho a respingar
Regava a flor e a protegia do espinho
O doce néctar era um constante gotejar.

A primavera a estação mais desejada
Vestiu-se com o glamour das vivas cores
Invadiu meu coração numa tarde ensolarada
Levou a minha flor junto às suas flores.

Sob o sol da primavera estou a procurar
Um amor que em meu coração nasceu
Ontem foi a flor que o destino em mim quis plantar
Hoje sob o sol da primavera de mim se esqueceu.

Marilda Sampronha
Direitos Reservados

Poema : Poetisa Marilda Sampronha “A Diva da Poesia”

Soneto do Amor

Tão lindo como um céu estrelado
Suave como o remorejar de uma cascata
É sublime o sentimento de amar e ser amado
Envolvente como ouvir uma serenata.

Como se o pôr do sol de seu posto fugisse
E deixasse à deriva o poeta sonhador
O amor com sua brandura e meiguice
Abranda do coração aflito a sua dor.

Contemplar o brilho de um olhar apaixonado
É tentar desvendar o maior segredo escondido
Indecifrável sentimento por vezes desvairado.

Tão bom é entender o que está subentendido
Neste entrelaçamento de repente nascido
Doce amor a deixar um coração aprisionado.

Marilda Sampronha
Direitos Reservados