Poema : Poetisa Rose Melo “A Iluminada”

Permita-se

Permita -se ser feliz
Nesse enorme coração existe emoção
Transborde com pureza e sensibilidade

Permita-se ser feliz
Relaxe deixando fluir essa paixão
Com leveza cria-se cumplicidade

Permita-se ser feliz
Ser humilde e alegre são qualidades
Que enobrecem com maestria e exatidão

Permita-se ser feliz
Sonhando, viajando nas asas do amor
Com volúpia, sofreguidão, prazer e furor

Rose Melo

Poema : Poetisas Silvania M. Kaminski & Maria de Lourdes da Costa

Dueto: Silvania M. Kaminski & Maria De Lourdes Da Costa.

NOSSO ÚNICO OUTONO…

Tudo era tão mágico…
A brisa do outono
A brincar com nossos cabelos,
Doces sonhos
Dormiam nas noites amenas…
Fantasias povoavam
Minha mente de menina,
Eu pensava que eras tão meu,
Queria tanto
Me abandonar nos braços teus…
Mas nossos sonhos voaram em direções diferentes,
Nos perdemos um do outro…
Aquele lindo outono
Foi o primeiro e o último
De nós dois juntos…
Te procurei no universo
da minha imaginação,
Quis te ver
Na primavera da minha vida,
Mas só o que restou
Foram meus braços vazios
E as recordações
Daquele longínquo outono…
( Silvania M. Kaminski )

Nunca esqueci a magia da brisa de outono…
Ainda sinto o frescor do vento brincando com nossos cabelos,
Aqueles doces sonhos,
As suas e minhas fantasias de meninos,
Adormecidos no meu peito nas noites frias,
Repovoaram novamente meus pensamentos,
Nunca esqueci aquela doce menina,
Meu primeiro amor,
Meu coração acordou pegando fogo,
Chamando pelo teu nome,
Dizendo que ainda sou teu…
Que vou embalar este amor nos braços meus!
( Maria De Lourdes Da Costa)

Poema : Poeta Raimundo Ramos

TUDO no TEMPO CERTO

É tudo no tempo certo,
Ao longo de nossa vida,
A caminhada se conclui,
Nem a morte não me intimida,
A vida é um jardim deserto,
Quando a esperança está perdida.

Nada me ilude nesta vida,
Tudo tem princípio e tem fim,
Nada é para sempre,
Até as flores de um jardim,
Ao longo desse tempo todo,
Quero o tempo todo pra mim.

Tudo o que fiz até hoje,
Não tenho nada, mãos vazia,
O destino me encheu do nada,
Trabalhando duro todo o dia
É tudo no tempo certo,
Felicidade é o que eu mais queria.

Raimundo Ramos
Poeta paraense.

Poema : Poetisa Patricia Campos

Quebrantado e contrito

É tempo de guerra, mesmo assim o amor está levantado, eis que clamei por minha terra, meus pés desviam deste campo minado. Lá fora só ouço o sussurro do vento,
nada por aqui mais me interte, continuo aguardando no tempo, sei que o amor não fere. Compreendo cada passo, enxergo cada ação, o assoviar do meu anjo faz-me dançar no compasso, são tantos detalhes, mas sei que pego a visão. Meu coração quebrantado e contrito bradou sutilmente, não foi algo ensaiado ou fingido mas naturalmente, como deve ser, nada forçado, e ao anoitecer, veio em sonho atrelado. Fez-me acordar numa noite, pôs-me a pensar, mostrou-me novo horizonte, a saída deste amargo mar. É difícil ser compreendido dentro do caminho que só você anda, mas sou eu quem devo passar. Uma palavra mal interpretada muda todo o sentido e por vezes cansa, mas meus pés jamais vão parar de andar. Um guerreiro também chora, e isto não o faz covarde, e quando em oculto ora, Deus lhe envia o selo da liberdade. É impressionante como vem a resposta daquilo que tu pedes a Deus, àquele que atenciosamente Lhe abre a porta, com todo carinho ensina a ser Seu. Pedi e Ele atendeu-me, desenhou Sua estratégia para derrubadar os inimigos que há em mim e isto fortaleceu-me. A luta continua, aprendi a me defender, houve novo planejamento em minha busca, agora é por em prática e reverter. Percebi que não é do meu jeito nem no meu tempo, mas a ordem é persistir e aguardar até que a voz do céu ecoe no templo. A obediência traz a paz, e o compreender é fundamental, quando se é veraz, torna-se trancedental.

Patricia Campos 🌺

Poema : Poetisa Olema Mariz “A Versátil”

Outro dia

Outro dia a começar

Sem relógio pra seguir

Sem horário pra sair…

O café sem correria

Desfrutar o aroma, o sabor

Acompanhando o pão de queijo

E a broa de fubá…

Uma ida a janela, o vazio da rua

Um olhar demorado no azul

O voo de algum pássaro

Insinuando liberdade…

Uma oração atravessando

O outro lado da cidade…

Lembranças pra desfiar

Rostos pra recordar

Mensagens, carinho virtual

Realidade bem atual!

Música pra viajar, poesia, leitura

Yoga, respiração, meditação

Introspecção, aprendizado…

E os pés devagarinho

Vão saindo do chão

Criando asas, planando

Aliviando a solidão…

Pois não há isolamento

Que isole os sonhos, a fé

De um inveterado sonhador!

Olema Mariz

Poema : Poetisa Michele Mi

Não sinta-se menosprezada

Consciência
Campo de manifestação
Com ciência
Abissal imensidão

Singularidade
Única no infinito
Particularidade
Fruto proibido

Valor inestimável
Uma pedra preciosa
Estado infindável
Flor perene graciosa

Não sinta-se menosprezada
Reconheça seu valor
Cada dia, nova alvorada
Tempo de resplendor

Espelho da alma
Qual sua verdadeira imagem?
Faça-se vivalma
O pó finda nessa viajem

Sentimento da compreensão
Gera verdadeiro amor
Não leve desprezo em consideração
Cuide de seu interior

Seja você a mudança
Exemplo de transformação
Pureza de criança
Enche os olhos de emoção

Não sinta-se menosprezada
Reconheça seu valor
Cada dia, nova alvorada
Tempo de resplendor

Michele Mi ❤️
Tema sugerido por: Paulo Tavares – Peruíbe/SP

Participe você também dos poemas! Faça sua sugestão enviando um tema. Ele será veiculado aqui e no site http://www.razaodavida.com acesse!

Poema : Poeta Plácido Amaral

SILÊNCIO

Palavra suprimida que se esquece
Focando-se em refúgio derradeiro,
Evita sussurrar alguma prece,
Consolo do respeito aventureiro.

Qualquer declaração se desvanece,
Sendo antipatizada bem ligeiro,
Por algo esplendoroso que aparece
Intruso e totalmente verdadeiro.

Esse silêncio imposto e estimulado
Para catequizar o pensamento,
É toda plenitude interior,

É feito esparadrapo adesivado
Na amarga insensatez de um sofrimento
Que jaz serenamente e sem temor.

PLÁCIDO AMARAL